Novidades

Notícias da TMG

Em Encontro na Bahia, TMG leva conhecimento técnico e resultados de algodão

13/10/2017

Luís Eduardo Magalhães, na Bahia, recebeu na noite desta terça-feira (10), o Encontro TMG - Resultados e Conhecimento, com apresentação de resultados das cultivares de algodão TMG na safra 2016/17 e palestra com o gestor de Pesquisa, Eduardo Kawakami, sobre Fisiologia da Cultura do Algodoeiro: Foco em Qualidade de Fibra.

Rafael Zeni, responsável pela área de Desenvolvimento de Produto da TMG, levou informações sobre o posicionamento e resultados da safra da TMG 47B2RF, a cultivar lançamento da safra 2017/18, TMG 44B2RF, e a TMG 81WS.

A TMG 47B2RF está no mercado há duas safras, tem ciclo médio tardio e alta exigência de fertilidade de solo. O pesquisador destacou que a cultivar é um dos materiais com maior teto produtivo do portfólio, apresentando ótimos resultados de produtividade e qualidade de fibra na Bahia nesta última safra. Também agrega a Tecnologia RX, que confere tolerância à Ramulária.

Entre as produtividades da TMG 47B2RF na safra 2016/17, na Bahia, foi registrado 394@/ha em São Desidério, em área de 477 hectares. Em Jaborandi, em área de 800 ha, a produtividade foi de 375@/ha. Também em Correntina o resultado foi aprovado pelos produtores, em área de 44 ha, a cultivar obteve 367@/ha.

A TMG 44B2RF, lançamento nesta safra, chega ao mercado com vários atributos superiores. “A cultivar apresenta ciclo precoce, agrega a Tecnologia RX, tem bom potencial produtivo e entrega fibra de excelente qualidade”, completa Zeni. Além disso, em resultados de pesquisa nos últimos anos e também de área comercial nesta safra, a cultivar mostrou grande equilíbrio entre os principais componentes da análise de HVI, confirmando sua superioridade na qualidade de fibra.

Em seu primeiro ano de área comercial, na safra 2016/17, a TMG 44B2RF registrou 386@/ha (200 ha) e 376@/ha (200 ha), em São Desidério, além de Formosa do Rio Preto, com 323@/ha em 79 ha.

A TMG 81WS apresenta sistema radicular agressivo, aptidão a solos de média fertilidade e tolerância ao nematoide das galhas. O pesquisador destacou que este conjunto de características faz com que a TMG 81WS tenha adaptação a uma amplitude de ambientes do cerrado, além de alta estabilidade de produção.

No estado da Bahia, a TMG 81WS foi destaque em várias condições, chegando a romper a marca de 500@/ha (503@/ha) nesta safra, em Riachão das Neves, em área de 200 ha. Em Correntina, registrou-se 429@/ha em 931 ha e, em São Desidério, 400@/ha em 548 ha.

Ao final do evento, o público também teve acesso a resultados inéditos de produtividade e qualidade de fibra dos ensaios de rede da TMG, onde foi possível observar, comparativamente, a performance das cultivares em diferentes regiões.